Informações Técnicas

Informações sobre a Lã


Seção 1 – Geral


"Cada fibra de lã é uma mola espiral tornando a fibra notavelmente elástica com alta característica de resiliência. A natureza juntou as cadeias de polipeptídeos químicos de volta para elas mesmas, de tal forma que elas agem como uma mola espiral que alonga quando é estendida e retrai quando é solta.

Esta ondulação molecular, ao longo com a fibra tridimensional, permite que as fibras de lã sejam esticadas até 50% quando molhadas e 30% quando secas, e ainda voltem ao seu formato original quando a força for liberada."


Seção 2 – com informação e referências


"Há concepção errônea de que a lã é mais conveniente exclusivamente para aquecer nas condições de frio. Testes científicos, porém, negam este conceito e conseqüentemente mostram que a lã é ideal para vestuário e produtos de cama em condições quentes, úmidas, secas, frias ou molhadas.

A lã tem atributos únicos, que lhe dão performance superior a outras fibras de diversas formas. Nossos corpos continuamente produzem calor numa frequência dependente do nosso nível de atividade; este calor deve ser dissipado no ambiente na forma de transpiração, no mesmo grau em que ela é produzida, para manter a temperatura do corpo constante (1.). Quando usada na cama, a lã cria um microclima, que ajuda a regular a temperatura do corpo e a umidade. O grau para o qual a temperatura do corpo e a umidade são reguladas é conhecido como conforto termofísico, isto é, um estado no qual o indivíduo está livre do stress térmico.

A liberdade do stress térmico está diretamente relacionada com o grau de descanso. Há um número de respostas termofísicas que podem ser medidas para indicar como está uma pessoa bem descansada num determinado momento. Alguns estudos examinando e comparando a performance dos underblankets de lã tem consequentemente mostrado que nas condições de calor e frio a lã proporciona conforto e um sono mais tranquilo do que qualquer outro tipo de fibra.

O Dr. K H Umbach do Hohenstein Institute na Alemanha designou e dedicou-se a uma série de estudos para determinar as respostas medidas, que são mais indicadas para noites de sono mais tranquilas (2.). Ele achou que em primeiro lugar a frequência do coração é o indicador mais correto. Uma pessoa com o batimento cardíaco lento e regular está muito mais relaxada do que uma pessoa com um batimento cardíaco compassado rápido ou irregular. Dois fatores, que refletem na freqüência do coração, são a temperatura e a umidade do microclima da cama. É um fato consumado que para os principais órgãos do corpo humano funcionarem eficientemente, a temperatura essencial deve ser mantida em ou próxima de 37ºC.

Usando as respostas termofísicas relacionadas com a ação do sono, Umbach monitorou vários corpos e funções climáticas para comparar o desempenho da lã, versos protetores de acrílico (3.). Sujeitos foram monitorados com ambientes de quartos controlados (temperatura, umidade e ventilação). Foi descoberto que a pulsação das pessoas que dormiram embaixo de cobertor de lã era normal com 60 batimentos por minuto, enquanto que ela elevava desordenadamente até 80 batimentos por minuto sobre o cobertor de acrílico, indicando stress maior na pessoa dormindo. Isto foi facilmente explicado por outras observações de Umbach: o cobertor de lã absorvia 50% mais transpiração do que o cobertor de acrílico, e os pijamas de algodão usados pelos participantes ficavam mais secos enquanto eles estavam debaixo de cobertores de lã. O microclima debaixo do cobertor de acrílico era muito mais quente e úmido para o conforto.

A Unidade Ergonômica na Politécnica de Wales comparou propriedades de conforto e padrões de sono de sujeitos debaixo de edredons e não cobertores (4.), novamente em um quarto com o meio controlado. Quando o quarto estava a 16ºC, todos as pessoas que dormiam estavam confortáveis embora a umidade debaixo do edredom de lã era mais baixa. De maneira interessante, as pulsações debaixo dos edredons preenchidos com lã foram novamente descobertas como sendo inferiores aos edredons preenchidos com poliéster.

Porém, a 22ºC os resultados eram por meio de estatística descontados porque os sujeitos debaixo de produtos de poliéster expuseram membros por períodos de tempo num esforço para acalmar-se. Esta resposta foi um substituto inferior para o microclima controlado termofisicamente como descoberto debaixo do edredom de lã.

Uma terceira tentativa designada pelo Dickson usou o próprio quarto e cama do sujeito como controle. A fotografia do espaço de tempo monitorou o movimento durante a noite para determinar a qualidade do sono (5.). Dickson descobriu de maneira estatística diferenças significantes no número de períodos imóveis, seqüências imóveis, e a porcentagem de tempo total passada dormindo no protetor de lã comparada com a superfície controlada. Novamente o protetor de lã provou ter uma superfície mais tranqüila para dormir.

O efeito positivo na saúde de dormir na lã é melhor ilustrado pelo estudo de Scott (6.) do nascimento de bebês prematuros. Este estudo descobriu que bebês protegidos por lã de carneiro conseqüentemente mostraram uma melhora significante no ganho de peso maior do que aqueles protegidos por métodos convencionais usando o algodão.

As vantagens do conforto da lã têm tradicionalmente atribuído à capacidade da fibra de absorver uma proporção significante de sua própria massa em água (7.).

Pesquisadores concordam que mais do que simplesmente absorver, as fibras de lã têm a habilidade de pára-choque reagindo contra o nível de umidade em um meio específico. Quando a umidade se eleva, a lã absorverá a umidade armazenada o quanto necessário. Quando o nível diminuir, a fibra libera a umidade conseqüentemente regulando o microclima. Esta propriedade assegura que uma sensação de umidade e frio nunca seja experimentada com a lã. Desta forma, ao invés do corpo regular o microclima, os produtos de cama feitos com lã aclimatizam o corpo, assegurando um descanso mais saudável com até mesmo frequência cardíaca e pressão sanguínea.

Uma outra vantagem da lã superior a outras fibras é especialmente sua propriedade muito boa de isolar quando comparada com as fibras sintéticas (8.). A forma tridimensional única da lã permite que ela forme pequenas bolsas de ar, conseqüentemente dando a ela uma propriedade isolante. Esta propriedade assegura que as mudanças de temperatura sejam vagarosas e graduais assim o microclima das camas tem tempo para se equilibrar. Mudanças rápidas de perda ou ganho de calor impediriam a ordem da temperatura e umidade.

A resiliência da lã é uma outra propriedade que ajuda a dar conforto. O pelo de um protetor de colchão reduz os pontos de pressão e amortece o corpo. Testes usando protetores com idosos e pacientes acamados em hospitais têm mostrado diferenças dramáticas entre o desempenho da lã e de protetores de cama de poliéster. Os resultados seguintes claramente identificam as vantagens da lã.

Pacientes sobre a lã tiveram significantemente menos problemas de pele do que aqueles sobre protetores de poliéster. 77% daqueles sobre a lã não tiveram problemas comparados com os 38% sobre o poliéster. Daqueles com “debxubitus ulcers”*, somente 8% tiveram um problema por mais que um mês enquanto 38% sobre o poliéster tiveram problemas por um período maior que um mês.

Além disso, nenhum paciente sobre os protetores de lã teve prorrogação de irritação de pele uma vez que o problema inicial tenha melhorado, enquanto 14% tiveram períodos repetidos de irritação sobre o poliéster (9.). Os aspectos de saúde de dormir sobre a lã continuamente superam os níveis de produtos sintéticos similares."

*Bedsore: Uma úlcera induzida de pressão da pele ocorrendo em pessoas confinadas na cama por longo período de tempo. Também chamada decubitus ulcer.


Seção 3 – Específica para protetores de enfermagem usando algumas referências da Seção 2


Os protetores de enfermagem de lã são freqüentemente usados em hospitais e casas para os doentes e idosos para prevenir ferida causada por longos períodos na cama e desconforto para aqueles que ficam imóveis por longos períodos de tempo. Como as peles de carneiro que são também usadas para enfermagem, os tecidos de pelo de lã têm muitas características que aliviam a pressão, umidade e atrito – colaboradores para o desenvolvimento de feridas causadas por longos períodos na cama. Por causa da resiliência da lã, o peso de um paciente é distribuído em uma área maior, eliminando pontos de pressão locais onde as feridas se formam. A suavidade da lã minimiza a abrasão na pele e a absorção da umidade da lã mantém a pele seca e confortável, prevenindo 'viscosidade'.

Protetores especiais de enfermagem pediátrica estão disponíveis para bebês. Pesquisas na Cambridge University têm mostrado que bebês prematuros em incubadoras crescem mais rápido, deitando diretamente sobre os protetores de enfermagem de pura lã do que sobre lençóis de algodão sem restrição do bebê estar bem ou doente. Por enquanto, não existem estudos disponíveis comparando protetores de enfermagem feitos de lã e sintéticos. Pesquisadores sugerem que os sintéticos são impróprios para serem usados, devido a sua incapacidade de absorver umidade.


Referências


  1. Wool? Why is it Comfortable?, B Holcombe, Proceedings of the 8th Int. Wool text. Res. Conf., Vol V., fibre Assemblies and Product Properties, ed G H Cranshaw (WRONZ) 1900, 205-214.
  2. Comparative Thermoplysical Tests on Blankets Made From Wool and Acrylic-Fibre-Cotton Blends, K H Umbach, J Text. Inst., 1986, No 3.
  3. Comparative Thermophysical Tests on Blankets Mde From Wool and Acrylic-Fibre-Cotton Blends, K H Umbach, J Text. Inst., 1986, No 3.
  4. An Ergonomic Comparison of Wool and Polyester-Filled Quilts, Polytechnic of Wales, Ergonomics Unit, published in IWS Technical Letter Number 26.
  5. Effects of a Fleecy Woollen Underlay on Sleep, P R Dickson, The Medical Journal of Australia, January 21, 1984, p87-89.
  6. Weight Gain and Movement Patterns of Very Low Birthweight Babies Nursed on Lambswool, S Scott, P Lucas, T Cole and M Richards, Child Care and Development Group University of Cambridge and the MRC Dunn Nutrition Unit Cambridge, Oct. 1980-Sept. 1981.
  7. W E Morton and J W S Hearle, Physical Proporties of Fibre, The Textile Institute Manchester, 1986 Edition.
  8. Wool Pile Sliver Knit Bedpad Evaluation at Franklin Park Nursing Home, L R Mizell, W H Marsden and V Butler, Summary report by New Market Outlet Section, IWS November 1974.